Google+ Followers

domingo, 19 de julho de 2015

TransBordando Vida

Seja bem-vinda esta parte em mim que gosta de escrever. Andou sumida daqui e agora voltou. Quero saber de tudo, por onde andou, o que fez neste 1 ano e 5 meses? 

Nestas andanças vivenciei que existe uma sabedoria que meu corpo Sabe. Com o desenvolvimento do "eu observador" (eu observando eu mesma) me vi agindo com uma determinação que não sabia saber!! 
Este ano entrei no grupo de mulheres TransBordando Paz e Bem - que delícia, fui acolhida com carinho neste circulo de mulheres
No inicio fiquei com o fuxico (engana-se quem acha que fuxico é trabalho fácil) e bordados simples em uma sacola que ganhei, mas, meus olhos e coração era para o macramê. Sou encantada por eles e julgava impossível eu aprender a arte de dar nós. (Aqui uma chave!) 
Talvez por sentir carência de um feminino mais acolhedor, bondoso, amigo, aproximei do catolicismo e fiz campanha de oração para Nossa Senhora Desatadora dos Nós, havia tantos obstáculos e impedimentos ao fluxo do amor, aceitação, vida em mim, que precisava de socorro. A ajuda veio através da arte, que insondáveis são os caminhos de Deus. 
Neste tempo, minha professora de bordados, Onezina, me emprestou o livro: Maria passa a frente. Foram várias experiencias de comunhão, conquistas e livramentos, falava e mentalizava: Maria passa na frente; Maria passa na frente. Venci o medo e enfrentei o bordado e a realidade. Em alguns momentos sentia que minhas mãos sabiam o caminho, o que julgava impossível de aprender já era conhecido, a sabedoria do corpo só precisa de oportunidade para manifestar. Nas aulas de macramê percebi a simbologia entre a arte de dar nós (macramê) e os encontros/desencontros e emaranhados de linhas em nossas vidas.
Errei e desmanchei, errei e desmanchei, errei e aprendi, a linha ficou marcada, frágil com os desmanches. Quando estava desmanchando o bordado visualizei Santa Maria desmanchando os nós de nossas vidas. Que delicadeza e firmeza precisa ter pra desmanchar e não machucar. Precisa de um "tempo" próprio e oportuno. Pensei, como será que está a linha da minha vida? Marcada, desfiada, embaraçada em outras linhas que não estão presentes? Pode ser...
Minha professora me garantiu que Nossa Senhora usa de uma unção tão poderosa que faz com que as fragilidades dos fios, transformem-se em oportunidades e força. Acreditei e vi que é possível aprender a bordar e achar o fio da miada, se libertar de amarras e impedimentos deixando livre o fluir. 
Ahh, também aprendi que determinação, persistência e paciência são essenciais para o expandir de Vida em nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Morreu de que?
- Se sufocou com as palavras que nunca disse...

Grata, pela visita!
Abraços,
Rita de Cássia